COMMEMORtis – O que sobrevive depois da morte? Comunidades paroquiais e estratégias de comemoração dos mortos na cidade medieval, EXPL/HAR-HIS/0532/2021

Investigadores responsáveis: Maria Amélia Álvaro de Campos (IR) e Ana Isabel Sampaio Ribeiro (co-IR)

Duração: 2021-2022

Fonte financiamento: FCT – Projetos IC&DT em todos os domínios científicos:
EXPL 2021 History and Archaeology Evaluation Panel – 2021 

Financiamento: €48.850

É possível reconstituir as comunidades paroquiais de uma cidade, a partir da análise informática dos obituários, dos testamentos e das doações post mortem que beneficiavam as suas igrejas? Nesta questão, articulamos um tema clássico da historiografia medieval europeia – o estudo da Morte e da Economia da Salvação – com uma metodologia atual e inovadora, vocacionada para o estudo social e prosopográfico em História e Micro-história – o software Timelink, um sistema de informação para processar dados de pessoas, recolhidos a partir de fontes históricas. Nos 18 meses do projeto, submeteremos duas das nove paróquias medievais de Coimbra à análise deste software, enquanto se desenvolverão ações de formação, colóquios e debates científicos com vista a um enquadramento deste caso, no contexto da rede paroquial de outras cidades portuguesas e europeias. O projeto assenta o seu plano e metodologias na interdisciplinaridade intrínseca às Humanidades Digitais (Thaller 2012; Granjon 2016), que aqui se verte em dois planos: a construção de uma infraestrutura para a análise de dados; e a divulgação digital dos resultados num website de domínio público e em artigos científicos.

Sítio oficial: Em construção